1 fevereiro, 2021

comunicado sobre A ETE BAGUAÇU

Araçatuba, 01 de fevereiro de 2021.

C O M U N I C A D O

A Agência Reguladora e Fiscalizadora – DAEA informa que as queixas provenientes do odor exalado pelo complexo da Estação de Tratamento de Esgoto Baguaçu têm relação com a mudança no processamento do lodo gerado pelo tratamento do esgoto doméstico.

Desde o final do mês de agosto do 2020 a ETE Baguaçu passou a operar o secador térmico. O lodo que anteriormente passava por uma mesa desidratadora que retirava 20% da umidade, depois era encaminhado para disposição final em aterro sanitário, hoje é depositado no leito de secagem dentro do secador térmico. A insolação e o calor gerado no interior do secador têm desidratado o lodo em percentuais acima de 90%. 

Em setembro de 2020, representantes da AGRF-DAEA, da concessionária GS Inima SAMAR e da consultoria INFRA Engenharia fizeram uma vistoria de inspeção técnica e na ocasião era perceptível o odor diferenciado dentro do secador. A agência solicitou um parecer técnico da INFRA Consultoria da possível causa daquele odor, nele foi apontada a possibilidade de estar relacionado com o processo geral do tratamento da ETE Baguaçu.

A agência informou à concessionária sobre o parecer técnico da INFRA. A GS Inima SAMAR informou que estava em contato com a fornecedora da tecnologia e dos equipamentos, sediada na Alemanha e que aguardava as orientações do fabricante.

Em novembro de 2020, representantes da AGRF-DAEA, da concessionária GS Inima SAMAR fizeram uma nova vistoria nas instalações do secador térmico e constataram a persistência do odor e alertou novamente a concessionária. Segundo a concessionária, o parecer preliminar sobre a exalação do odor fétido estava relacionado com a composição do lodo, pois a princípio a ETE Baguaçu foi projetada para tratamento de esgoto doméstico.

No final do ano, ações mitigatórias começaram a ser implementadas a fim de eliminar o odor, por meio de aplicação de produtos no lodo pré-processado na mesa desidratadora e centrífuga, antes de ser encaminhada para os leitos de secagem e redução do funcionamento dos exaustores do secador térmico.

Na primeira reunião de regulação de 2021, este assunto foi pautado e a resposta é de que além das ações já mencionadas, a concessionária contratou uma empresa especializada em desodorização de sistemas de saneamento e estaremos com representantes da concessionária nesta semana e uma nova vistoria de inspeção será feita para apontar uma solução definitiva.

                                                                      

                                                                                                                                          Márcio Saito

                                                                                                                                          Comissário Geral

Categorias

pt_BRPortuguese