AGRF FAZ VISITA DE INSPEÇÃO NA ETA 4

Na tarde de terça-feira (11), uma equipe da AGRF (Agência Reguladora e Fiscalizadora – DAEA), acompanhada pelo seu Comissário Geral, Márcio Saito e pelo Comissário Adjunto, Petrônio Lima, se dirigiu até a sede da GS Inima SAMAR na Av. Baguaçu, número 1530, no Bairro Parque Baguaçu.

A visita foi originada por conta de uma reunião entre os comissários e representantes da concessionaria para tratar de uma visita de inspeção de obra da nova ETA que será construída no intuito de ser mais tecnológica e substituir a antiga ETA que esta em funcionamento.

Após o término desta reunião, os representantes da Agência Reguladora aproveitaram a viajem e inspecionaram as obras da ETA 4 (Estação de Tratamento de Água) que está sendo construída desde o ano passado. Segundo informações a obra esta com 28% das obras completas, tendo a previsão de término para Abril do ano que vem.

AGRF SE REUNE COM REPRESENTANTES DA GS INIMA SAMAR PARA DISCUTIR SOBRE NÍVEL BAIXO DE ÁGUA NAS ETAS

Na manhã desta terça-feira (18), uma equipe da AGRF (Agência Reguladora e Fiscalizadora – DAEA), acompanhada pelo seu Comissário Geral, Márcio Saito, e o Comissário Adjunto, Petrônio Lima, foram até a sede da GS Inima SAMAR, para mais uma reunião, com intuito de discutir o nível preocupante que a ETA Tietê e a ETA Baguaçu se encontram devido, principalmente, a falta de chuva na cidade.

A imagem abaixo mostra que o nível da bacia Tietê (localizaçada na parte superior da foto) está no mínimo para o funcionamento das maquinas de tratamento e distribuição de água. Segundo o Comissário Geral. “De acordo com o relatório apresentado pela concessionaria o nível do rio Tietê esta em sua capacidade mínima para o funcionamento, inclusive, da Hidrelétrica Três Irmãos. Ou seja, se abaixar mais que isso a distribuição de água será comprometida” Completa.

Já na imagem da ETA Baguaçu (localização na parte inferior da foto), percebe-se nitidamente que o fluxo de água que está caindo no declínio do córrego é pequeno, tendo em vista que em sua normalidade a água corrente preencheria todo o declínio. “Nós já vivemos uma experiência parecida com esta em 2014, tendo que adotar o racionamento de água para que o fornecimento não pare” disse o Comissário.

Já prevendo que a rio Tietê possa abaixar mais seu nível, tendo em vista que a previsão de chuvas em junho, julho e agosto, historicamente, seja quase nula, medidas de precaução já estão sendo tomadas. Serão instalados grandes tubos (tubuloides) que ligará A Estação de Tratamento até a parte mais profunda do rio para a captação de água. “Esses tubuloides serão lançados a 50 metros do ponto de captação e conectar a águas mais profundas, terá uma balsa no meio onde se localizara as bombas que vão sugar essa água pra não correr o risco de secar o reservatório”. Completa Márcio Saito.

É importante que seja passado para os usuários e clientes que é importante a preservação e o uso consciente de água, quanto mais economia cada um tiver menor será a perda e o abastecimento será preservado. Isso se reflete em simples gestos diários como não deixar a torneira aberta, não utilizar a mangueira para lavar a calçada, não descartar produtos indevidos no esgoto (objetos sólidos e óleo de cozinha).

pt_BRPortuguese